domingo, 19 de setembro de 2010

A GÊNESES DA CIÊNCIA - Parte 1

Por R. Xavier

DE ONDE VIEMOS


Há 13,7 bilhões de anos, teoricamente não existia nada. Até que então algo acontece que possibilita com que coisas possam existir. Essa possibilidade fez com que tudo (o que passou a existir até aquele momento) ficasse concentrado em um espaço tão minúsculo que faria qualquer partícula parecer gigantesca. Basicamente esse espaço era um ponto de energia pura. Então misteriosamente, quando a uma temperatura que faria o inferno parecer um cubo de gelo, uma expansão repentina ocorre (a uma velocidade superior ao da luz) e este ponto se espalhou em todas as direções e da melhor maneira possível. Esta "explosão" é hoje conhecido como o Big-Bang.
Com a expansão deste ponto de energia, ainda havia apenas uma somatória de vários tipos de energia, mas a sua densidade foi diminuindo e o Universo (hoje conhecido como Cosmos) foi se diluindo começando a esfriar.
Nisso surgiram as primeiras partículas de matéria conhecidas como Quarks.
Logo após surgem outro tipo de partícula chamada Glúon. Estes impedem que os Quarks vivam independentemente.
Mesmo mais frio, o Cosmos continuava fervendo e os Quarks e Glúons se agitavam de tal maneira que não havia um consenso entre eles.
Conforme o Cosmos foi esfriando, os Quarks e os Glúons foram se entendendo, então começaram a se juntar em trios. Assim surgiram os elétrons, os prótons e os nêutrons.
Até aqui, tudo isso ocorreu em 10 milésimos de 1 milésimo de segundo e o universo continuava a se esfriar e a se diluir (coisa que acontece até hoje). Tudo era escuridão, pois todas as particulas de luz (os fótons) se ligavam aos elétrons.
Após 100 segundos do big-bang, a temperatura do Cosmos estava em torno de 10 milhões de graus Celsius, e a união de elétrons, prótons e nêutrons iniciou-se dando origem aos primeiros átomos. Assim os fótons, sem os elétrons para reagir, varreram o Cosmos.
Os primeiros átomos foram os de hidrogênio. O Cosmos então começou a colar os átomos de hidrogênio um nos outros para que se formasse um segundo átomo, o hélio. Com o hidrogênio e o hélio, o Cosmos conseguiu o terceiro átomo, o lítio.
Esse processo de mistura é conhecido como fusão nuclear.
300 segundos após o big-bang, o Cosmos continha 75% de hidrogênio, 25% de hélio e uma quantia irrisória de lítio e não conseguiu mais prosseguir com a fusão nuclear, pois já estava frio demais impossibilitando assim a criação de novos elementos.
O Cosmo tinha que achar uma maneira de continuar com a fusão nuclear. Então a partir de nuvens gasosas formadas de hidrogênio com pouco de hélio junto com uma força gravitacional, formou-se uma esfera compacta muito densa. A densidade altíssima desta esfera faz com que a pressão em seu interior atinja um ponto que leva os átomos de hidrogênio a grudar uns nos outros, formando assim mais hélio. Com isso, o Cosmos conseguiu produzir fusão nuclear, mas esse processo libera muita energia (luz e calor) e isso fez a esfera brilhar. Assim nasceram as estrelas.
A função primordial da estrela é formar hélio a partir de hidrogênio através da fusão nuclear e como a estrela não se dilui (como aconteceu com o universo), esse processo pode durar bilhões de anos.
A estrela, comprimida pela gravidade (onde a temperatura em seu interior tende a chegar a 10 milhões de graus), passará muito tempo produzindo hélio até o hidrogênio do núcleo se esgotar. Quando houver este esgotamento, o núcleo se comprime mais, tornando a pressão maior, e assim conseguindo produzir átomos mais pesados e grandes como o oxigênio e o carbono.
Chega uma hora que a gravidade comprime tanto o núcleo da estrela, que esta não suportando tanta pressão, entra em colapso e explode violentamente, expulsando suas camadas superiores. Esse fenômeno é conhecido como supernova.
Com a explosão da estrela, é lançada para o espaço elementos pesados. Essa supernova não é um caso isolado, isso acontece em vários pontos do Cosmos.
A mesma gravidade que formou e matou estrelas, começa então a reunir enxames estelares no qual conhecemos como galáxias, e essas galáxias em aglomerados que conhecemos como superaglomerados deixando o Cosmos parecido como uma teia de aranha.
Até aqui tudo isso ocorreu em 1 bilhão de anos após o big-bang. A cada tempo que passa, com as galáxias e as estrelas explodindo em supernovas, o Cosmos fica mais rico em átomos complexos.
Uma galáxia em particular, a Via Láctea, foi criada em 9 bilhões de anos após o big-bang mas sua estrela, o Sol, foi formado de uma nuvem tênue para os padrões cósmicos, ou seja, sem muita massa. Então o Sol não se agigantou tanto como deveria tornando-se um astro de porte médio para pequeno.
Ao redor do Sol, havia poeira e gás já devidamente enriquecido com elementos pesados. A gravidade então agiu novamente, formando 8 esferas com essa poeira e gás que orbitavam ao redor do Sol. Nasciam assim os planetas.
Um desses planetas, o terceiro para ser exato, formou-se à 150 milhões de quilômetros e foi marcado por surras memoráveis, pois havia muita sujeira neste sistema solar recém-nascido.
Vários objetos, conhecidos hoje como asteroides, colidiam com esse planeta. Um desses asteroides era tão imenso que, com o choque violentíssimo lançou bilhões de toneladas de matéria na órbita desse planeta e mais uma vez, a gravidade iria juntar esses destroços formando-a em uma esfera de pedra de 1/4 do tamanho desse planeta tornando-a também em seu satélite natural.
Esse terceiro planeta se chama Terra, e essa recém criada esfera se chama Lua. Isto ocorreu em 10 bilhões de anos após o big-bang.
Pela sua distância do Sol (cuja dimensão é de 1 milhão de planetas iguais a Terra), a temperatura do planeta Terra não é nem muito quente nem muito fria. Isso possibilitou o surgimento e combinações de outros átomos que se relacionaram de uma maneira muito complexa dando origem as moléculas, em especial a água e o carbono.
Mas um tipo de molécula denominado RNA surgiu para que algumas substâncias inanimadas se rearranjassem para produzir algo muito precioso.


FONTE: Arquivos Pessoais

3 comentários:

  1. nossa quantas informações ...valeu ...fiquei vidrado na leitura..ate mais amigo Robson...fuiiiiiiii

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Robsom é muito complicado, acho melhor crer numa varinha mágica. rs rs abraço.

      Excluir
    2. Nada como "colocar areia" em algumas coisas de vez em quando, né?
      Mas não se preocupe... vem mais por aí.

      Excluir